Doenças Cardiovasculares

     Doenças cardiovasculares

                                              

 

O que são as doenças cardiovasculares?

 

Doenças cardiovasculares são doenças que afectam o sistema circulatório ou seja o coração . Entre as mais comuns podemos referir o enfarte do miocárdio, a angina de peito, a aterosclerose, os AVC  (acidente vascular cerebral), etc. Entre as suas principais causas contam-se a vida sedentária, o consumo excessivo de alimentos ricos em gordura e sal, [álcool] (ainda que estudos demonstrem um efeito benéfico no consumo moderado de bebidas alcoólicas) e tabaco. Por consequência, a melhor prevenção consiste em fazer exercício físico, ter uma alimentação equilibrada, rica em frutas e legumes e não fumar.

Quais são os factores de risco?

            Idade—-História familiar—-Tabagismo—-Sedentarismo—-Diabetes

            Obesidade—-Hábitos alimentares incorrectos—-Colesterol

Hipertensão Arterial—-Stress

Idade e História familiar

Estes dois factores encontram-se entre as condições que aumentam o risco de uma pessoa vir a desenvolver doenças no aparelho cardiovascular.

É difícil definir com exactidão o stress porque os factores diferem de pessoa para pessoa. No entanto, a sensação de descontrolo é sempre prejudicial e pode ser um sinal para abrandar o ritmo de vida.

Consideram-se como valores elevados os de pressão arterial sistólica superiores ou iguais a 140 mm Hg (milímetros de mercúrio) e/ou valores de pressão arterial diastólica superiores ou iguais a 90 mm Hg.

Tabagismo

É considerado o factor de risco mais importante na   União Europeia, estando relacionado com cerca de 50 % das causas de morte evitáveis.Os efeitos nocivos do tabaco são cumulativos. O risco aumenta quando a exposição se inicia antes dos 15 anos de idade.

As mulheres que recorrem à anticoncepção oral (toma da pílula) e que fumam estão sujeitas a um maior risco de acidente cardiovascular: por exemplo, o risco de enfarte do miocárdio aumenta de seis a oito vezes.

Os fumadores de mais de um maço de cigarros por dia têm quatro vezes mais enfartes do miocárdio do que os não fumadores Os não fumadores, quando têm enfartes, têm-nos dez anos mais tarde que os consumidores de tabaco.

O tabagismo favorece o aparecimento da Angina de Peito, do Enfarte do Miocárdio e da Doença Arterial Periférica, e pode levar, inclusive, à morte.

Sedentarismo

A inactividade física é hoje reconhecida como um importante factor de risco para as doenças cardiovasculares.

A falta de prática regular de exercício físico moderado potencia outros factores de risco susceptíveis de provocarem doenças cardiovasculares, tais como a hipertensão arterial, a obesidade, a diabetes ou a hipercolesterolemia.

Diabetes e Obesidade

Os riscos de um acidente vascular cerebral ou do desenvolvimento de uma outra doença cardiovascular aumentam com o excesso de peso, mesmo na ausência de outros factores de risco.

A obesidade abdominal está associada a um maior risco de desenvolvimento de diabetes e doenças cardiovasculares.

Maus hábitos alimentares

A alimentação constitui um factor na protecção da saúde e, quando desequilibrada, pode contribuir para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares, entre outras.

O excesso de sal, gorduras,  álcool e açúcares de absorção rápida na alimentação, e a ausência de legumes, vegetais e frutos frescos, são factores de risco associados às doenças cardiovasculares.

Para ser saudável, a alimentação deve ser variada e poli fraccionada (muitas refeições ao longo do dia).

Colesterol elevado

Manifesta-se quando os valores do colesterol no sangue são superiores aos níveis máximos recomendados.

O colesterol é indispensável ao organismo, quaisquer que sejam as células orgânicas que necessitem de regenerar-se, substituir-se ou desenvolver-se.

Hipertensão Arterial

Situações em que se verificam valores de pressão arterial elevados.

Consideram-se como valores elevados os de pressão arterial sistólica superiores ou iguais a 140 mm Hg (milímetros de mercúrio) e/ou valores de pressão arterial diastólica superiores ou iguais a 90 mm Hg.

Stress excessivo

O stress é inevitável enquanto vivemos, sendo uma consequência do ritmo de vida actual.

É difícil definir com exactidão o stress porque os factores diferem de pessoa para pessoa. No entanto, a sensação de descontrolo é sempre prejudicial e pode ser um sinal para abrandar o ritmo de vida.

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s